Author: Adela

Anni-Frid Lyngstad

Anni-Frid Lyngstad: um breve percorrido pela vida da cantora

Anni-Frid Synni, Princesa Reuss de Plauen (nome de nascimento Anni-Frid Synni Lyngstad) nasceu em 15 de novembro de 1945 e foi amplamente conhecida como Frida Lyngstad ou pelo mononym Frida. Nascida na Noruega de mãe norueguesa e pai alemão, ela cresceu na Suécia e chegou ao estrelato internacional como membro do grupo pop ABBA,que vendeu mais de 380 milhões de álbuns e singles em todo o mundo, tornando-a numa das artistas com mais vendas na história. Após a ruptura da ABBA, ela continuou uma carreira internacional de canto solo com sucesso misto, lançando os álbuns Something’s Going On (1982) e Shine (1984). Sendo o último o seu último álbum internacional até à data. Em 1996, Frida gravou um álbum final em sueco (Djupa andetag) antes de se retirar da música.

Em abril de 1964, aos 18 anos, ela casou-se com Ragnar Fredriksson. Imediatamente após o seu divórcio em 1970, Lyngstad cortejou o eventual membro da banda do ABBA, Benny Andersson, até que se casaram oficialmente em 1978. O casal se separou em 1980 e se divorciou em 1981. Em 1992, Lyngstad casou-se com Heinrich Ruzzo, Príncipe Reuss de Plauen, que era um príncipe da antiga Casa soberana de Reuss. Desde então ela detém os títulos da princesa Reuss e condessa de Plauen com o estilo de Sua Alteza Sereníssima. O príncipe morreu de linfoma em outubro de 1999. Lyngstad vive actualmente em Zermatt, na Suíça, partilhando uma casa com o seu namorado britânico, Henry Smith, 5º vizconde Hambleden, desde 2008.

Primeiros anos

Anni-Frid Synni Lyngstad nasceu em Bjørkåsen, uma pequena aldeia em Ballangen, perto de Narvik, no norte da Noruega, de mãe norueguesa, Synni Lyngstad (19 de junho de 1926 – 28 de setembro de 1947), e um sargento alemão do Wehrmacht, Alfred Haase. Logo após o fim da Segunda Guerra Mundial e a ocupação alemã da Noruega. O pai de Lyngstad voltou para a Alemanha quando a sua unidade foi evacuada.

No início de 1947, Lyngstad, a sua mãe e sua avó materna, Arntine Lyngstad (“Agny”), deixaram o seu lugar de nascimento, temendo represálias contra aqueles que tiveram relação com os alemães durante a ocupação. Isso poderia implicar não apenas insultos e ameaças, mas também forçou a separação de bebés de seus pais e parentes.

Lyngstad foi levada pela sua avó para a Suécia, onde se estabeleceram na região de Härjedalen e a sua avó arranjou qualquer trabalho disponível. A mãe de Lyngstad, Synni, permaneceu na Noruega e trabalhou por um período no sul do país. Synni juntou -se a sua mãe e filha na Suécia, e as três se mudaram para Malmköping. Synni morreu de insuficiência renal pouco depois, aos 21 anos, deixando Lyngstad a ser criada unicamente pela sua avó. Em junho de 1949, ambas se mudaram para Torshälla, onde Agny Lyngstad trabalhou como costureira. Continuou o contacto próximo com a sua família na Noruega (notavelmente seu tio e quatro tias), e Lyngstad lembra as férias de verão que passaram com eles.

Lyngstad acreditava que o seu pai, Alfred Haase, tinha morrido durante a guerra no seu caminho de volta para a Alemanha. No entanto, em 1977, a revista alemã Bravo publicou um cartaz e uma biografia completa com detalhes do passado de Lyngstad, incluindo os nomes da sua mãe e pai. O artigo foi visto pelo meio-irmão de Lyngstad, Peter Haase, que foi ao pai e perguntou se ele tinha estado em Ballangen durante a guerra. Alguns meses depois, Lyngstad conheceu a Haase em Estocolmo pela primeira vez.

Carreira musical

  • 1958-1969: trabalho inicial

Lyngstad declarou em várias entrevistas que a sua avó frequentemente cantava músicas para ela (notadamente velhas canções norueguesas), o que resultou no seu amor pela música. Ela logo mostrou talento musical  numa idade muito precoce, começando nos seus primeiros anos na escola. As sextas-feiras, a professora pedia-lhe frequentemente para cantar na frente da classe e logo se tornou conhecida na escola e no bairro pela sua bela voz. Embora a sua avó a incentivasse a cantar (de acordo com a própria Lyngstad), ela nunca participou em nenhuma das suas apresentações. A sua avó morreu pouco antes de formar ABBA e, portanto, nunca presenciou o sucesso do grupo.

Aos 13 anos, Lyngstad obteve o seu primeiro emprego como cantora em 1958, com a Evald Eks Orchestra. O proprio Evald Ek lembra-se: “Era difícil de acreditar, uma pessoa tão jovem poderia cantar tão bem. Era muito fácil ensaiar com ela e nunca era tímida no palco. A única coisa que eu ensinei-lhe foi a cantar alto. Naqueles dias, teve uma tendência de reter a sua voz um pouco”. Com a Orquestra Evald Eks, Lyngstad, de 13 anos, actuou todos os finais de semana em frente a uma audiência. Os conjuntos muitas vezes duraram até cinco horas. Para avançar e desenvolver, ela também começou a tomar aulas de canto. Mais tarde, ela associou-se a uma banda de 15 peças, que interpretou um repertório de jazz que abrange Glenn Miller, Duke Ellington e Count Basie. Os seus ídolos vocais são Ella Fitzgerald e Peggy Lee. Em 1963, ela formou a sua própria banda, Anni-Frid Four.

Em 3 de setembro de 1967, Frida ganhou a competição sueca de talentos nacionais “New Faces”, organizada pela gravadora EMI e realizada em Skansen, Estocolmo. A música que escolheu para cantar foi “En Ledig Dag”. O primeiro prémio neste concurso foi um contrato de gravação com a EMI Sweden. Sem o conhecimento de Lyngstad, o vencedor do concurso também devia aparecer nessa mesma noite no programa de TV mais popular do país da época, Hylands Hörna. Isso aconteceu no mesmo dia em que a Suécia mudou de direcção do lado esquerdo da estrada para o lado direito. Conduzir naquele dia foi desencorajado, então a maior parte da nação estava a assistir a televisão naquela noite.

Esta primeira exposição a uma audiência de televisão mais ampla causou uma sensação, e muitas empresas discográficas e produtores contactaram imediatamente Frida. Os executivos da EMI, temendo que pudessem perder a sua nova cantora, tomaram a precaução de na manhã seguinte presentar-lhe o contrato de gravação para assinar.

Em 29 de janeiro de 1968, ela actuou na televisão nacional e, nesta ocasião, conheceu brevemente Agnetha Fältskog, que também realizou o seu primeiro single no mesmo programa. Lyngstad visitou a Suécia em 1968 e gravou vários singles para a EMI. Ela decidiu mudar-se para Estocolmo para começar a trabalhar em tempo integral como cantora.

  • 1970-1971: Pre-ABBA

O seu primeiro álbum, Frida, produzido pelo seu noivo Benny Andersson, foi lançado em 1971. O álbum recebeu elogios unanimemente generosos dos críticos e da imprensa, que especialmente notaram a precisão e versatilidade da voz de Lyngstad.

Frida continuou a tocar em cabarés, e fez tours e actuações regularmente na TV e na rádio. Posteriormente, a sua relação com Andersson e a amizade com Björn Ulvaeus e Agnetha Fältskog levaram à formação da ABBA. Em 1972, após cinco anos na EMI Suécia, Lyngstad mudou de discográficas para Polar Music. Ela gravou o single “Man vill ju leva lite dessemellan” (“One quer viver um pouco de tempos em tempos”), que se tornou no seu segundo hit nas tabelas suecas.

  • ABBA

No início, Lyngstad estava hesitante em tocar com o namorado Benny Andersson, seu melhor amigo Björn Ulvaeus e sua esposa, Agnetha Fältskog. O seu primeiro projecto em conjunto foi o acto de cabaré Festfolket, que não foi um sucesso, no inverno de 1970-1971. No ano seguinte, Lyngstad viajou sozinha, enquanto os outros três futuros membros da ABBA começaram a trabalhar juntos de forma regular. Eventualmente, ela juntou-se a eles. Andersson e Ulvaeus estavam ocupados produzindo outros artistas, mas logo descobriram as qualidades das vozes de Lyngstad e Fältskog combinadas: o ABBA ganhou vida.

  • 1982-1984: carreira solo internacional

Em 1982, durante o último ano dos ABBA como banda, Frida gravou e lançou o seu primeiro álbum a solo pós-ABBA. Este também foi o seu primeiro álbum a solo em inglês. O álbum produzido por Phil Collins chama-se “Something’s Going On” e tornou-se num grande sucesso para Frida em todo o mundo.

Abba se reune para cantar uma nova canção

Abba reune-se pela primeira vez em 30 anos numa gala privada

Os quatro membros da Abba tocaram juntos pela primeira vez depois de 30 anos em Estocolmo em Junho de 2016.

Numa gala privada para marcar os 50 anos desde que a dupla de composições Björn Ulvaeus e Benny Andersson se encontraram pela primeira vez, os membros estiveram acompanhados pela Agnetha Fältskog e a Anni-Frid Lyngstadon em Berns Salonger, em Estocolmo. Além de discutir as suas carreiras, o grupo cantou o seu hit de 1980, Me and I, de acordo com o jornal sueco Expressen. Um evento que com certeza muitos fãs nunca previram acontecer e nunca esquecerão.

O evento aconteceu numa festa particular realizada no Hotel Berns de Estocolmo. A noite, realizada no salão do hotel do século 19, reuniu as pessoas-chave das carreiras muitas vezes entrelaçadas dos dois homens. Foi organizado pela rádio DJ Claes af Geijerstam, cuja banda Ola & the Janglers venceu aos ABBA para representar a Suécia no Eurovision Song Contest em 1973, um ano antes de ganharem a primeira vitória da Suécia com Waterloo.

O desempenho improvisado teria começado quando Lyngstad e Fältskog recitaram a canção como uma homenagem a Andersson e Ulvaeus, antes que a outra metade de Abba se juntasse e tornasse a reunião oficial. O filme da performance ainda não apareceu, mas as imagens apareceram nas redes sociais.

Embora a última tour do grupo tenha ocorrido em 1982, os quatro membros foram vistos pela última vez em Estocolmo para a abertura de uma nova aventura de entretenimento, Mamma Mia! The Party.

Apesar das suas ocasionais performances individuais, o grupo – composto por dois antigos casais – decidiram que não se reunir para a sua indução no Rock and Roll Hall of Fame em 2010.

Os quatro membros do grupo sempre se têm recusado a se juntar outra vez. Mesmo apesar de terem sido oferecidos US$1 bilião no pico da onda de febre ABBA, que seguiu o sucesso do musical Mamma Mia!

 

 

Mamma Mia!

Mamma Mia! pelo mundo fora

O musical no mundo

  • Mamma Mia! já foi visto por mais de  42 milhões de pessoas pelo mundo fora.
  • Mamma Mia! já arrecadou mais de 2 biliões de dólares de bilheteira.
  • Mamma Mia! inaugurou em mais de 240 cidades desde a sua primeira produção em Londres há dez anos.

Mamma Mia! está actualmente em seu 12º ano desde a primeira produção inaugurada no West End de Londres em 06 de Abril de 1999.

Produções Actuais

Londres, Reino Unido

  • A produção de Londres está agora em seu décimo ano, tendo comemorado o seu 11 º aniversário em 06 de Abril de 2009.
  • Em 03 de Junho de 2004, Mamma Mia! foi transferida para o Prince of Wales Theatre, após uma restauração 7 milhões de libras, para continuar a quebrar seu recorde.
  • Mamma Mia! conseguiu a arrecadação semanal mais alta de todos os tempos na história do Prince of Wales Theatre, na semana de 04 de Janeiro de 2009, e também teve o melhor desempenho já visto no teatro, a performance na noite do sábado de 14 de Fevereiro de 2009.
  • Em 18 de Agosto de 2007 Mamma Mia! tornou-se no espectáculo mais longo em cartaz do Prince of Wales Theatre e comemorou a sua 3500º exibição em Londres, em 23 de Agosto de 2007. Desde a sua estreia, Mamma Mia! arrecadou mais de 185 milhões de libras de bilheteira no Reino Unido e tem sido visto por mais de 5 milhões de pessoas em Londres.

Broadway, Estados Unidos

  • Mamma Mia! agora está no seu nono ano em Broadway, onde tem feito mais de 3.540 apresentações no Winter Garden Theatre.
  • A produção inaugurou com uma venda antecipada de mais de 27 milhões de dólares e já arrecadou até agora mais de 459 milhões de dólares.
  • Mamma Mia! continua a ser um dos shows de maior bilheteira da Broadway e tornou-se no 11º espectáculo mais longo na história da Broadway.

Tour em Norte América

  • A tour Norte Americana (originalmente conhecida como Tour Americana Nacional 2) estreou em Providence, estado de Rhode Island em 28 de Fevereiro de 2002.
  • Até a presente data, o tour tem feito mais de 3.325 performances gerando uma renda de bilheteira de mais de 343 milhões de dólares. A tour 2 apresentou-se em mais de 132 cidades (com 131 representações) e teve uma lotação esgotada até Agosto de 2011.
  • A tour também fez uma apresentação de nove semanas em Toronto, no Canadá, que marcou o primeiro retorno de Mamma Mia! a Toronto desde a última longa produção no The Royal Alexandria Theatre, fechado em 2005.
Mamma Mia! o filme

Sinopse Mamma Mia! o filme

Mamma Mia! é um filme de comédia romântica de 2008, adaptada do West End 1999 e o musical da Broadway de 2001 com o mesmo nome. Tem como base as músicas do bem-sucedido grupo pop ABBA, com música adicional composta Pelo membro da ABBA, Benny Andersson. O filme foi dirigido por Phyllida Lloyd e distribuído pela Universal Pictures em parceria com Tom Hanks e Rtone Wilson’s Playtone e Littlestar.

Meryl Streep lidera o elenco, desempenhando o papel de mãe solteira Donna Sheridan. Pierce Brosnan (Sam Carmichael), Colin Firth (Harry Bright) e Stellan Skarsgård (Bill Anderson) interpretam os três possíveis pais para a filha de Donna, Sophie (Amanda Seyfried). Mamma Mia! Recebeu críticas mistas dos críticos e ganhou US$609,8 milhões num orçamento de US$52 milhões.

Enredo

No centro da trama, encontramos a uma mãe, uma filha e três possíveis pais. A magia e o significado das sempre das canções do ABBA inspiraram a escritora Catherine Johnson nesta história sobre amor e amizade, passada em uma pequena ilha grega.

Às vésperas do seu casamento, Sophie Sheridan, a filha, procura a identidade do seu pai. Por isso, ao encontrar o diário da mãe descobre que existem três possíveis pais. Então convida aos três homens que fazem parte do passado da sua mãe e que há 20 anos não a viam.

Uma vez que a Sophie quer que o seu pai a leve ao altar, convidou-os sem contar a sua mãe, acreditando que depois de passar o tempo com eles, ela saberá qual é o pai dela.

Quando Sam, Bill e Harry chegam, Sophie decide conversar com cada um deles à vez. Sophie não consegue descobrir a verdade e, subjugada pelas consequências de suas acções, desmaia.

Entre as 23 músicas, os hits do ABBA, incluindo “Dancing Queen”; “The Winner Takes It All”; “Money, Money, Money” e “Take A Chance On Me”, fazem parte desta mágica história de pura diversão.

Agnetha Fältskog

Agnetha Fältskog: vida e carreira

Agnetha Åse Fältskog, nascida em Suécia em 5 de Abril em 1950, é uma cantora e ex membro dos ABBA.

Biografia

Cresceu numa família de músicos, chegando a compor a sua primeira música aos 5 anos chamada “Två små troll” (dois trolls pequenos). Aos 16 anos começou a sua carreira como artista, e em 1967 (aos 17 anos) atinge o número um do Svensktopper (chart sueco), graças à sua própria composição “Jag var så Kär”. Em 1972 interpretou María Magdalena na versão sueca do musical Jesuchrist Superstar.

Em 6 de julho de 1971, Agnetha casou-se com Björn Ulvaeus, com quem teve dois filhos, Linda e Christian. Björn e Agnetha separaram-se em 1978, mas concordaram em permanecer no grupo, até três anos mais tarde, quando o grupo se separou.

Em 15 de Dezembro 1990, casou-se novamente com Tomas Sonnenfeld, de quem se divorciou três anos depois.

Carreira musical

Os seus álbuns a solo são “Wrap Your Arms Around Me” de 1983, onde saíram os seus dois hits “The Heat Is On” e a faixa-título. Em 1985, lançou “Eyes of a Woman”, incluindo “Just One Heart”, “We Should be Together” e “I Will Not Let You Go” e o seu lado B, “You’re There”. O mesmo aconteceu com ‘One Way Love” e o seu lado B “Turn the World Around”.

Em 1987,  foi lançado “I stand Alone” onde se destaca o single “I Wasn’t The One” (Who Disse Adeus) um dueto com Peter Cetera e “If You Need Somebody Tonight”. Também em 1998 foi lançada a compilação dos seus sucessos. Em 2004 lançou o seu trabalho “My Colouring Book” e em 2008 aparece na promoção do filme Mamma Mia! em companhia dos outros três membros da banda e elenco do filme, incluindo Meryl Streep.

A sua última aparição foi em janeiro de 2009 para recolher o prémio “Rockbjörnen” em nome do grupo, acudindo com Frida.

Mais informação

De acordo com o que é dito na história do ABBA, ela tem uma voz muito aguda por isso é considerada Soprano na música popular.

Tem fobia de jornalistas razão pela qual quase nunca é vista em público. Além dos trabalhos discográficos  acima mencionados tem 17 álbuns na sua língua nativa (com algumas canções em Inglês), o último de 2004.

Em espanhol teve três músicas”La última vez”, “Ya nunca más” (um dueto com Tomas Ledin) e Yo no fui quien dije adiós” (um dueto com Peter Cetera). Estas são versões em espanhol dos sucessos em Inglês “The Last Time”, “Never Again” (também com Tomas Ledin) e “I Wasn’t the one (Who Said Goodbye)” (também com Peter Cetera).

Em março de 2013 ele lançou seu novo single solo “When you really loved someone”, incluído no seu novo álbum, lançado em maio do mesmo ano.

Göran Bror Benny Andersson

Benny Andersson: a sua vida e o seu trajecto musical

Göran Bror Benny Andersson, nascido em 16 de dezembro de 1946, é um músico sueco, compositor, membro do grupo de música sueco ABBA (1972-1982) e co-compositor dos musicais Xadrez, Kristina de Duvemåla , E Mamma Mia!. Para a versão de filme Mamma Mia! de 2008, também trabalhou como produtor executivo. Desde 2001, é ativo com a sua própria banda Benny Anderssons orkester.

Vida

Göran Bror Benny Andersson nasceu em Vällingby, filho de um engenheiro civil de 34 anos, Gösta Andersson, e a sua esposa Laila, de 26 anos. A sua irmã Eva-Lis Andersson seguiu em 1948. O gosto musical de Andersson vem do seu pai e avô, ambos gostavam de tocar o acordeão, e aos seis anos, Benny teve o seu. O seu pai, Gösta, e o avô Efraim ensinaram-lhe música folclórica sueca, música tradicional e schlager. Benny lembra que os primeiros discos que ele comprou foram “Du Bist Musik” da cantora italiana Caterina Valente e “Jailhouse Rock” de Elvis Presley.

Quando Andersson tinha dez anos, comprou o seu próprio piano e aprenceu sozinho a tocar. Ele deixou a escola com 15 anos e começou a tocar em clubes juvenis. Foi quando conheceu a sua primeira namorada Christina Grönvall, com quem teve dois filhos: Peter (nascido em 1963) e Heléne (nascido em 1965). No início de 1964, Benny e Christina começaram a formar parte dos “Elverkets Spelmanslag” (“The Electricity Board Folk Music Group”). O nome era uma referência de punição aos seus instrumentos eléctricos. O repertório era principalmente instrumentos, um dos seus números era “Baby Elephant Walk”, e foi assim que escreveu as suas primeiras músicas.

Carreira

  • Hep Stars (1964-1969)

Em outubro de 1964, integrou os Hep Stars como tecladista e um avanço na sua carreira com o seu hit de março de 1965 “Cadillac”. Eventualmente tornaram-se a banda pop sueca mais célebre dos anos 1960. Andersson consolidou o seu força como o tecladista da banda e  no mundo musical, bem como um ídolo para os adolescentes. A banda tocou principalmente covers de sucessos internacionais, mas Andersson logo começou a escrever o seu próprio material e deu à banda os seus hits clássicos: “No Response”, “Sunny Girl”, “Wedding”, “Consolation”, “It’s Good to Be Back” e “She Will Love You”, entre outros.

  • Antes de ABBA (1969-1972)

Andersson conheceu Björn Ulvaeus em junho de 1966, e os dois começaram a escrever músicas juntas, o seu primeiro hit foi “Is not It Easy To Say”, eventualmente gravado pelos Hep Stars. Também teve uma colaboração proveitosa com Lasse Berghagen, com quem escreveu várias músicas e submeteu “Hej, Clown” para o Melodifestivalen de 1969 – as finais do Festival da Canção da Eurovisão da Suécia. A música terminou em segundo lugar. Durante este concurso, ele conheceu a vocalista Anni-Frid Lyngstad, e logo se tornaram um casal. Ao mesmo tempo, o seu companheiro de composição Ulvaeus conheceu à vocalista Agnetha Fältskog.

As relações pessoais e a colaboração das composições de Andersson e Ulvaeus levaram um percurso bastante naturalmente à cooperação próxima que os quatro amigos tiveram nos anos seguintes. Benny e Björn marcaram os seus primeiros hits como compositores na primavera de 1969: “Ljuva sextital” (um hit com Brita Borg) e “Speleman” (um hit para os Hep Stars). À medida que os dois casais começaram a se apoiar durante as sessões de gravação, o som das vozes das mulheres convenceu aos compositores a modelar o seu “grupo” em vários atos da MOR, como Blue Mink, Middle of the Road e Sweet. Assim, o ABBA ganhou vida.

  • Benny Anderssons Orkester (2001-presente)

Andersson atualmente actua com a sua própria banda de 16 músicos, BAO; “Benny Anderssons Orkester” (“Orquestra de Benny Andersson”), utilizando os talentos vocais de colegas suecos Helen Sjöholm (de Kristina de Duvemåla) e Tommy Körberg (de fama de Xadrez), com letras de novos materiais às vezes escritas pelo seu parceiro de composição de canções e melhor amigo de 40 anos, Björn Ulvaeus. BAO lançou cinco álbuns com um enorme sucesso na Suécia, todos contendo singles de sucesso.

BAO recentemente conseguiu um novo recorde na Suécia no quadro de Svensktoppen, permanecendo por 243 semanas com a música Du är min man (“You Are My Man”), cantada por Helen Sjöholm.

Breve história do grupo Abba

ABBA foi um grupo pop sueco, o mais bem sucedido no país e na Europa continental, nomeadamente dentro do pop. ABBA foi o primeiro grupo europeu pop a ter sucesso em países de língua Inglês fora da Europa. O quarteto teve a sua origem em Estocolmo em 1972, alcançando fama internacional ao vencer o Festival Eurovisão em 1974.

O quarteto estava composto por: Benny Andersson, Anni-Frid Lyngstad (mais conhecida como Frida), Björn Ulvaeus e Agnetha Fältskog. O nome “ABBA” é um acrónimo formado a partir das primeiras letras do nome de cada membro: Agnetha, Björn, Benny e Anni-Frid.

ABBA ganhou popularidade internacional empregando melodias cativantes, letras simples e seu próprio som, caracterizada pelas harmonias de vozes femininas e “parede de som”, um efeito musical criado pelo padrão de Phil Spector. O álbum completo ‘Waterloo’ inclui canções de muitos estilos diferentes, tentando encontrar aqueles que poderiam agradar mais ao público. No Em seu próximo álbum ‘Chegada’, Abba e mostra o seu próprio estilo de música, que foi continuado em ‘Abba’, em que alguns dos temas de maior sucesso como “Mamma Mia“, “I do, I do, I do” e “SOS”.

Crescente popularidade, o grupo fez tours pela Europa, Austrália, EUA, Canadá e Japão. As suas gravações tiveram um grande impacto musical, que os levou a se tornarem no grupo mais bem sucedido da discográfica (Universal Music Group International). No entanto, no auge do sucesso, ambos os casamentos foram dissolvidos. No final de 1978, Bjorn e Agnetha anunciaram a sua separação, que impactou seriamente as relações entre os membros do Abba, o que levou ao início do declínio do grupo. Mais tarde, em 1980, o outro par de Abba, também divorciado, e desta vez a situação era insustentável para acompanhar um grupo em que é harmonia essencial entre os seus membros.

Essas mudanças foram refletidas na sua música, ao escrever letras mais profundas com um estilo musical diferente. O grupo começou a sofrer um declínio do comércio e, finalmente, decidiram fazer uma pausa temporária que acabou por ser definitiva. O grupo separou-se em dezembro de 1982, fazendo a sua última aparição pública em 4 de julho de 2008, na estreia sueca do filme musical Mamma Mia! Mas não antes de publicar ‘Super Trouper’, um dos seus melhores trabalhos, onde mostram toda a sua maturidade profissional e onde há questões que lidam com desgosto e tristeza

Apesar disso, permaneceram fixos nas listas de musica e ABBA é agora um dos grupos com mais vendas em todo o mundo, tendo vendido cerca de 400 milhões de álbuns e ainda continuam a vender entre 2 e 3 milhões de discos por ano. Posteriormente a  popularidade abriu a porta a outros artistas europeus. A sua música tem sido cantada por outros grandes artistas e é a base do musical Mamma Mia!

Em 15 de março de 2010, o grupo se juntou ao Hall da Fama do Rock and Roll dos Estados Unidos, numa gala realizada no hotel Waldorf-Astoria, em Nova York, ao mesmo veio Anni-Frid Reuss e Benny Andersson, em nome do grupo.

 

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén